VAGABOND – A HISTÓRIA DE MUSASHI

“Pode parecer difícil ao início, mas tudo é difícil ao início.”

Vagabond é um mangá escrito e ilustrado por Takehiko Inoue, e é baseado na obra de Eiji Yoshikawa, intitulada Musashi (publicado no Brasil pela editora Estação liberdade e dividido em dois volumes).
Miyamoto Musashi, também conhecido Shinmen Takezo, foi o maior e mais famoso espadachim japonês que já existiu e que viveu na época dos xoguns no século XVII.

Se quiser saber um pouco mais sobre Musashi, clique aqui, postei no blog, um texto do próprio mangá e que fala um pouco sobre quem foi esse herói japonês.

Voltando a Vagabond, sua primeira publicação no Brasil foi em 2001, pela editora Conrad e foram lançados 44 edições (o equivalente a 22 volumes japoneses), sendo cancelado em 2006. Em 2005 a própria Conrad publicou uma versão de luxo de Vagabond em 14 volumes, sendo esta, também cancelada em 2007. Em 2014, Vagabond foi licenciado pela Editora Nova Sampa, mas apenas 4 volumes foram publicados, sendo então novamente cancelado. Desde 2016 é licenciado e publicado pela editora Panini, contando até o momento (em que este texto foi escrito) 37 edições.

A história se passa em 1600 d.C. o Japão passa por um dos períodos mais turbulentos de sua história. O jovem Takezo, ao lado de seu amigo Matahachi, deixa a vila Miyamoto para lutar na Batalha de Sekigahara. Embora sonhem com fama e glória, eles somente encontram a derrota e um caminho repleto de incertezas.

Assim começa Vagabond, acompanhamos então a vida de Shinmen Takezo (Miyamoto Musashi) e sua busca no caminho da espada para se tornar o maior espadachim que já existiu. Musashi vive constantemente apostando sua vida (em belas cenas de lutas), na busca de aprendizado e iluminação em uma jornada espiritual e filosófica de autoconhecimento.

No começo, percebemos que Takezo era muito selvagem e confiava somente em sua força bruta para lutar, em dado momento em uma de suas lutas, percebe o valor da disciplina e as muitas técnicas existentes, isso o muda, levando-o a entender que o verdadeiro caminho da espada é muito mais profundo.

“Controla a tua fúria. Se guardares rancor contra os outros, eles têm controle sobre ti. O teu oponente pode dominar-te e derrotar-te se permitires que te irrite.”

Outro destaque de Vagabond, é Sasaki Kojiro, o maior rival de Musashi, em determinado momento o mangá “esquece de Musashi”, e nos mostra a fascinante história de Kojiro, um gênio nato do caminho da espada, que no mangá é retratado como surdo e mudo, e que essa deficiência, na verdade é o que o faz ter aquilo que Musashi, até o momento não tinha, a paz de espírito necessária a todo grande espadachim. Inoue sensei nos brinda com um maravilhoso adversário e tão empático, que é quase impossível não nos comovermos por ele.

Enfim, Vagabond é um dos melhores mangás já feitos, tem uma história incrivelmente “foda” que vai ficando melhor a cada volume, uma arte impecável e absurdamente linda e detalhista, é muito mais do que pura e simples violência, é uma busca espiritual cheia de ensinamentos e ponderações filosóficas como a dor, a solidão, o respeito, o medo da morte. Há passagens extremamente belas e tão sutis que chegam a ser inspiradoras.

“Não existe nada fora de você que permita que você se torne melhor, mais forte, mais rico, mais rápido ou mais inteligente. Tudo vem de dentro. […] Não procure nada fora de si mesmo.”


Título: Vagabond

Autor: Takehiko Inoue

Editora: Panini (atualmente) 

Volumes: 30 (até o momento dessa publicação)


 

Leave a Reply