A ÁGUIA E A GALINHA, UMA METÁFORA DA CONDIÇÃO HUMANA – LEONARDO BOFF

“A vida é um combate, que os fracos abate, que os fortes e bravos só quer exaltar”


•SINOPSE•

Segundo Leonardo Boff, existe em todas as pessoas a dimensão galinha, que é a inserção no mundo concreto e suas limitações, e a dimensão águia, que são os sonhos e a vontade de crescer.

Como vamos dar asas á águia, ganhar altura, e integrar também a galinha e sermos heróis de nossa própria saga?

Nesta obra, o autor busca animar os leitores a crescerem humanamente, o que se espera é uma reflexão instigante e entusiasmo na busca da identidade pessoal.


Li esse livro por causa da faculdade, provavelmente não o teria lido se não fosse por isso, uma vez que não é o meu estilo de leitura, dito isso…

Antes de falar da história, de antemão já peço perdão, caso eu misture as histórias, pois o autor narra a história que ele havia ouvido e a refaz, acrescentando partes no intuito de enriquecer a história para que ela tenha mais elementos de reflexão e estímulos.

“Esse modo de recontar acrescentando novos dados é próprio das culturas orais como as dos negros e dos indígenas. É natural também nas famílias que guardam a memória de seus antepassados. Os hebreus, desenvolveram, com grande capacidade, esse gênero literário”.

Bom, a história para a base do livro, irá contar sobre um filhote de águia que é encontrado ferido em uma floresta por um empalhador, que o leva com ele e o deixa em seu galinheiro junto com as galinhas, e passa a cria-lo como tal. Com o passar do tempo, a águia começa a se portar como uma galinha e vai se adaptando ao seu modo de vida, até que o empalhador, recebe a visita de um amigo naturalista, que passa então a saber da condição da águia. Entre a defesa do naturalista de que a águia nunca poderia ter sua natureza alterada e o discurso do empalhador sobre aceitação à nova vida de galinha, com o passar das páginas, o livro vai retratando através dos dois animais, questões de autoestima e superação, podemos então, entender um pouco mais sobre como a condição humana é retratada a partir das qualidades e defeitos de cada ave e também como cada um de nós é dotado de particularidades que não podem ser simplesmente alteradas.

“O ser humano é uno e complexo, constituído de corpo-e-alma. Ele não tem corpo e alma. É corpo e alma.”

O naturalista e o empalhador começam a debater sobre o que a águia pode e consegue fazer enquanto sua condição de galinha e todas as suas limitações. O naturalista acredita veementemente na força instintiva de sua natureza, enquanto o empalhador rebate esclarecendo que sua natureza não mais lhe pertence. O naturalista então o desafiou a verificar e constatar que a águia vai se redescobrir águia e sair da condição de galinha.

Após duas tentativas frustradas, no chão e no teto da casa do empalhador, na terceira tentativa, no alto de uma montanha, a águia ao olhar para o sol, sente seus olhos se iluminarem, o naturalista consegue fazer com que a ave reconheça sua condição intrínseca de águia, e esta, se lança no infinito céu…

“A Águia e a Galinha – uma metáfora da condição humana”, é um livro que fala sobre possibilidades e limites e, ao dizer que “todo ponto vista é a vista de um ponto” (e aqui, talvez ele tenha se inspirado na fenomenologia de Merleau-Ponty), o autor reflete que cada pessoa tem uma visão de mundo à partir das suas próprias experiências.

Dentre algumas partes ou capítulos que podemos deixar facilmente de lado no livro (sério, muita coisa não precisaria estar ali), existem muitas outras interessantes e necessárias, a exemplo da discussão sobre o que é moral e ética.

“Ethos – ética, em grego – designa a morada humana. O ser humano separa uma parte do mundo para, moldando-a ao seu jeito, construir um abrigo protetor e permanente. A ética, como morada humana, não é algo pronto e construído de uma só vez. O ser humano está sempre tornando habitável a casa que construiu para si.”

O livro a todo momento busca nos fazer refletir sobre o processo de autoconhecimento pelo qual todo ser humano passa, o qual devemos construir paulatinamente, visto que é uma caminhada na direção da busca da própria identidade. É tudo um processo, de autorrealização, de superação e de questionamentos. Cada um, precisa escutar sua natureza interior, o resultado de tudo pode ser uma reflexão pessoal instigante!!!

“Recusamo-nos a ser somente galinhas. Queremos ser também águias que ganham altura e que projetam visões para além do galinheiro. Acolhemos prazerosamente nossas raízes (galinha) mas não à custa da copa (águia) que mediante suas folhas entra em contato com o sol, a chuva, o ar e o inteiro universo. Queremos resgatar nosso ser de águias.”


Livro: A Águia e a Galinha – Uma metáfora da condição humana

Autor: Leonardo Boff

Editora: Vozes

Páginas: 206 páginas

Nota: 3/5


 

Leave a Reply