BLEACH (LIVE ACTION NETFLIX). E NÃO É QUE É BOM!!!

“Rukia, faça de mim um verdadeiro Shinigami.”

Antes de mais nada, para quem não conhece, Bleach conta a história de Ichigo Kurosaki um adolescente de 15 anos, brigão, que possui a habilidade de ver fantasmas e espíritos, além de se comunicar com eles. Após ganhar os poderes de Shinigami é forçado a assumir temporariamente o dever de guiar as almas boas à Soul Society, e derrotar os Hollows, monstros espirituais malignos que tentam devorá-las.

Quando vi que a Netflix tinha lançado um Live Action de Bleach, a minha primeira reação foi, não acredito, preciso ver, mas logo lembrei do fiasco de Death Note, e do ridículo Dragon Ball, e então a tristeza me abateu e logo pensei, meu Deus, eles vão consegui estragar mais um dos meus animes preferidos, não vai prestar, e vai ser mais uma decepção, será que vejo?

Vi… e putz, é muito bom, não é um primor, mas é muito legal, sinceramente a minha expectativa era muito baixa e fui surpreendido.

Da carga dramática, à comedia, fotografia, música e lutas, tudo é muito bem feito, algumas caracterizações, confesso, não me agradaram, como a da Orihime, ou o Ishida…, mas que não comprometem e com o passar do tempo tu até esquece esses detalhes.

Falando não de todos, mas de alguns dos personagens:

Ichigo: bem fiel ao personagem e muito carismático.

Rukia: bela atuação e ao meu ver em alguns momentos domina quando está em cena.

Urahara: podia nem ter aparecido, não mostrou a que veio, e nem sei porque estava ali.

Keigo: muito engraçado, ele quase não aparece, mas quando aparece a gente (leia-se, eu) dava altas risadas toda vez que ele “matava” o Ichigo, haha, muito hilário.

Isshin: também muito carismático e me fez lembrar do Isshin do anime.

Hollows: são Ok, muito bem feitos.

Achei que as atuações ficaram bem naturais, e algumas até primorosas.

O treinamento de Kendo/Kenjustsu do Ichigo com a Rukia, é muito legal, bem coreografada e até empolgante. A luta com Renji, achei sensacional, bem marcada, quase impecável, um dos momentos altos do filme.

“Eu fui protegido… de novo…”

Há uma cena bem bonita e tocante quando o Isshin está no tumulo da sua esposa e diz para ela falar ao Ichigo que ele não deve se culpar pela sua morte, isso deixa implícito desde o primeiro momento a culpa, o peso e a responsabilidade que o Ichigo carrega desde criança, e isso está diretamente relacionado com o fato dele não querer ser um Shinigami e relutar bastante com isso, mas se força a isso porque ele não quer falhar de novo em proteger alguém ao invés de ser protegido…

A única coisa que me incomoda, (mas aí é um gosto pessoal meu), é que eu gosto de fidelidade, acho que as coisas deveriam ser fieis a obra, mas logicamente eu entendo que como adaptação a gente não pode esperar muita fidelidade, porque a linguagem do mangá, do anime e de um filme são diferentes, às vezes é necessário mudar (adaptar), para se ter uma coerência daquela história que se propõe a ser contada (só digo que como fã eu gostaria disso), mas Bleach não decepciona, e em alguns momentos esses elementos incorporados são de certa forma até melhor colocada que no anime o que ficou bem interessante, pois é tudo muito bem amarrado, bem escrito, e a gente consegue enxergar muito da essência de Bleach, quer seja nos diálogos, nas lutas, nos personagens ou cenários, como por exemplo a Soul Society que aparece rapidamente num plano aberto à noite, mas que atiçou bastante a minha curiosidade.

Em resumo, Bleach é muito legal, decente, não decepciona e foi empolgante o suficiente para me fazer querer ver uma possível continuação!


Abaixo deixo o trailer que peguei do canal do youtube trailers de filmes.


Título: Bleach

Direção: Shinsuke Sato

Gênero: Ação, Aventura

Ano: 2018


 

Leave a Reply