BRUXOS E BRUXAS – JAMES PATTERSON

“Eu não ia deixar ninguém machucar minha irmã. E não ia dar uma de bonzinho e obedecer as regras idiotas deles.”

SINOPSE

“É como entrar em um pesadelo. Do nada, você é retirado de sua casa, preso, e acusado de bruxaria. Parece século 17, mas é o governo da Nova Ordem, e está acontecendo agora”!

Sob a ideologia da Nova Ordem, O Único Que É O Único mantém seu poder à força, sem música, nem internet, nem livros, arte ou beleza. E ter menos de 18 anos já é motivo suficiente para que você seja suspeito de conspiração.

Os irmãos Allgood estão encarcerados nesse pesadelo e, para escapar desse mundo de opressão e medo, terão que contar um com o outro e aprender a usar a magia.


Sabe aquela frase: nunca julgue um livro pela capa? Bruxos e Bruxas se encaixa bem nessa velha máxima: um belo exemplo de capa bonita com pouco ou nenhum conteúdo.

Bruxos e Bruxas, conta a história de dois irmãos que de uma hora para outra são presos e mantidos sob custodia dentro de um reformatório, acusados de bruxaria junto com vários outros jovens, por um regime de governo autoritário intitulado como “Nova Ordem”, ao mesmo tempo em que estão descobrindo e aprendendo a usar seus poderes.

É um livro enfadonho, com uma historia fraca e mal escrita, por vezes infantil… caramba, olha que independente do gênero, eu sou uma pessoa bem fácil de agradar, mas pra ser sincero não tenho nada muito bom a dizer desse livro.

É um livro fácil de se ler, até por causa de sua linguagem infantilizada, porém, para aqueles que se apegam a detalhes, a narrativa do livro composta de capítulos super curtos, que se alternam entre os irmãos bruxos é feita em certos momentos de forma um tanto brusca, dá-se a impressão que se perdeu algo entre uma página ou outra, o que pode tornar a leitura bagunçada em alguns momentos. Sabe quando você esta lendo um capítulo e ao passar para o próximo parece que pulou algum trecho, que perdeu alguma coisa?

“ – Wisteria Allgood – Byron disse sem mudar o tom de voz, como um oficial de justiça, e tirou um rolo de papel que parecia oficial de não sei onde. – De agora em diante, você estará sob custódia da Nova ordem até seu julgamento. Você está sendo acusada de bruxaria. Fiquei boquiaberta. – Bruxaria? Você está maluco?! – gritei.”

Um outro grande problema desse livro, é o modo que os personagens interagem ou como alguns fatos acontecem, para dar um exemplo, o fato de o ditador-bruxão-mor-do-mal-auto- intitulado-O-Único-Que-É-O-Único, permitir que os prisioneiros levem objetos com eles para a prisão/reformatório!!! (Como assim? Eles são bruxos!!!), ou mesmo depois de ficar invisível e de entrar em combustão espontânea a personagem de Wist ainda consegue duvidar que tem poderes ou que é bruxa… São aspectos que poderiam ter sido melhor explorados e desenvolvidos, mas não o foram, o que tornou o livro muito superficial e raso.

Os personagens não me cativaram, um tanto bobos e sem personalidade, acabaram soando artificiais demais, mesmo as piadas não agradam, você não consegue levar a história a sério durante muito tempo, ela não convence, o que é uma pena, pois se você pegar o contexto geral, tinha tudo pra ser, mas não foi!

Recomendaria? Bom, se você não tem nada melhor para ler, como um manual de instruções em chinês ou uma bula de remédio…


Livro: Bruxos e Bruxas

Autor: James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Editora: Novo Conceito

Páginas: 288

Nota: 1/5



 

Leave a Reply