VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM LIVRO-JOGO?

Caro leitor! Está preparado para enfrentar desafios em mundos fantásticos? Ao se deparar com uma escolha, pense cuidadosamente e decida-se. Suas escolhas irão conduzindo a aventura e, se for sábio e tiver sorte, poderá se dar bem. Tudo depende de você!

Diferentemente do livro normal, onde a historia é lida do início ao fim, o chamado livro-jogo é um gênero literário interativo que permite ao leitor participar da história, ao fazer escolhas diversas.

Dei uma navegada na net e descobri que esse é um gênero também conhecido como aventuras solo, tem diversas fontes de origens que podem ser encontradas, foi criado nos anos 60 na Inglaterra e pelo que se tem notícia, foi publicado pela primeira vez pela editora Pufin Books, nos EUA popularizou-se nos anos 70 e no Brasil nos anos 80.

Ao contrário do que possa parecer, os livros-jogos, não são RPG. A principal diferença é que todo livro-jogo tem começo, e fim, como qualquer livro, embora você possa fazer escolhas durante a leitura, elas já estão pré-definidas, ou seja, você pode fazer o que quiser, dentro das escolhas que o livro te oferece, diferentemente no RPG onde as opções são infinitas. Outra diferença é que o livro-jogo é composto por aventuras que o leitor “joga” sozinho (daí o porque de aventura solo), enquanto os livros de RPG é necessário que se tenha um grupo de pessoas para jogar.

A história sempre começa introduzindo você como o personagem principal e o mundo que o rodeia, encaminhando o leitor para a página 1, ou capitulo 1, cada parte da história vai sendo contada.

Após essa introdução, o livro nos convida a participar do enredo, permitindo fazer escolhas que o personagem principal deverá seguir, através dessas escolhas cada caminho o levam a outras escolhas, que levam a outros caminhos, o leitor deve encarar as consequências boas ou ruins dessas escolhas prévias, o livro vai assim progredindo com essa formula divertida. É possível que o leitor chegue ao final da história sem passar por todas as escolhas, porque cada caminho do leitor-jogador possui consequências diferentes, passando por diferentes desafios para completar sua aventura podendo inclusive morrer algumas vezes. Desse modo, um mesmo livro pode ser lido muitas vezes, com experiências diferentes e finais diversos.

Os livros-jogos fizeram parte do meu mundo literário, tive alguns há muitos anos atrás, hoje só possuo um sobrevivente da editora Abril, intitulado “O castelo dos mortos-vivo”, de Nick Baron, e eu sempre adorei esse tipo de livro.

Dei mais uma pesquisada pela net, pois não sabia que fim havia levado o gênero, descobri que além da editora Abril, também foram publicados pelas editoras Bertrand Brasil, Ediouro, Marques Saraiva.

Atualmente no Brasil, destaca-se na publicação do gênero a Jambô editora, com mais de 20 títulos lançados, outro destaque vai para a mandala jogos que publicam livros em formato de quadrinhos e são mais interativos, coloridos e imersivos.

Leave a Reply