YOUR NAME (KIMI NO NA WA)

“Eu odeio essa cidade! Eu odeio essa vida! Por favor, me façam um menino bonito de Tóquio na próxima vida”!

Your Name (Kimi no Na Wa) é uma adaptação do mangá de mesmo nome de Makoto Shinkai, a história gira em torno de dois adolescentes que não se conhecem e cujos caminhos nunca deveriam ter se cruzado, mas que um dia, numa manhã qualquer, em algum momento do tempo, despertam um no corpo do outro.

Apesar de usar uma premissa muito comum em alguns filmes, Your Name se destaca pela delicadeza e sinceridade com a qual trata do assunto, envolvendo um certo tom místico e sobrenatural, Your Name vai além de uma história aparentemente simples, o que se desenrola é uma trama muito mais complexa do se pode imaginar e que vai além do habitual, envolvendo a cultura milenar japonesa e seus profundos aprendizados. Percebemos as pequenas nuances das diferenças harmônicas do Japão de hoje: o desejo de manter a simplicidade das tradições (não tão simples) tão importantes para seu povo, que se opõe com a necessidade do enorme desenvolvimento das cidades e sua tecnologia.

Mitsuha, uma garota que vive em um pequeno e tranquilo vilarejo do Japão em meio às montanhas, se sente atraída pelo cotidiano das grandes cidades, tanto que deseja ser um menino bonito morando em Tóquio em sua próxima reencarnação. Já Taki, um garoto que vive na grande metrópole de Tóquio, estuda e trabalha, mas está sempre procurando por algo que ele não sabe o que é.

“Eu estou sempre procurando algo, uma pessoa, um lugar… Não sei  que é ou onde é, mas eu sei que é importante para mim…”

Como não é uma troca permanente (essas trocas se alternam entre as semanas no corpo um do outro), inicialmente eles pensam se tratar de um sonho, mas a reação dos amigos um dia após cada troca, começam a indicar que é tudo real.

E são essas alternâncias dos dias na vida um do outro que faz a narrativa diferente de qualquer outra, pois os personagens precisam encontrar um meio de conviver com suas diferenças para que as vidas de ambos passem a progredir sem grandes mudanças, o que cria algumas situações bem engraçadas.

A empatia e identificação com os protagonistas é instantânea, a relação entre Taki e Mitsuha é a princípio de indignação, ainda mais quando ela descobre que ele fica se apalpando quando no corpo dela, por isso os dois estabelecem regras, começam a deixar mensagens um para o outro e registrar o dia a dia de cada um, essa estranha relação contribui para criar laços de um profunda amizade e carinho e que aos poucos sem perceberem, vai evoluindo para amor.

Os dois fazem muito bem um ao outro, Mitsuha na grande cidade de Tóquio enfrenta a correria do dia a dia entre os estudos e o trabalho de Taki, e com isso vai aprendendo a ser mais forte e determinada.

Taki é surpreendido com a vida calma e serena, as cerimônias e rituais típicos do pequeno vilarejo de Mitsuha, aprendendo a dar valor àquelas coisas menores e importantes da vida.

“Naquele dia, quando as estrelas caíram. É como se fosse uma cena de um sonho. Nada mais, nada menos que uma bela vista”.

A trilha sonora é cativante e bela, a parte visual do anime é primorosa, é como se estivéssemos vendo uma obra de arte em movimento, é utilizado um outro recurso, que é a animação tradicional mesclada com recursos de computação, mas que em nenhum momento compromete a qualidade ou os traços clássicos dos animes japoneses tradicionais, e que Makoto Shinkai conduz com bastante habilidade.

É preciso prestar atenção em dois pontos que são fundamentais para entender a história:

O primeiro ponto (o sobrenatural): é mostrado bem sutilmente, quando em aula a professora de Mitsuha explica sobre “katawari-doki”, o crepúsculo ou hora mágica, quando não é dia nem noite, quando a fronteira entre os dois mundos se converge, e podemos encontrar com o sobrenatural.

O segundo ponto (o destino): quando a avó de Mitsuha explica sobre “Musubi” que remete ao poder dos deuses. Musubi está presente em qualquer lugar e em tudo o que fazemos, até nas relações que estabelecemos uns com os outros. É também uma representação do tempo e do destino. De acordo com uma lenda japonesa, um fio vermelho do destino une duas pessoas, não importando como a vida se desenrole, os fios convergem se entrelaçam se partem e se entrelaçam novamente, fazendo com que elas se encontrem. É angustiante perceber como, em alguns momentos no anime como o destino às vezes é implacável…

“Te prometo… Não importa onde estaremos neste mundo… Te prometo que nos encontraremos outra vez.”

O que me faz pensar agora um terceiro ponto na história (o tempo): que é o fato que Mitsuha está trocando de corpo com Taki três anos no futuro. Há uma cena, quando Mitsuha já apaixonada por Taki decide ir a Tóquio para encontrá-lo. Quando o encontra e fala com ele no metrô ele não faz a menor ideia de quem ela seja. Quando está indo embora, Taki pergunta qual o nome dela, que então dá a ele o cordão vermelho trançado, esse cordão representa o fio vermelha invisível do destino que unirá os dois.

Mais para frente, quando depois de tentar falar com Mitsuha e não conseguir, Taki vai atrás dela sem ter a mínima noção de onde procurar, e sua única pista são os desenhos que fez através de suas lembranças, um senhor vendo os desenhos informa que se trata de Itomori, é quando Taki descobre algo que mudará o rumo da história, pois a cidade de Itomori já não existia mais, a queda há três anos de um meteoro tinha aniquilado por completo a cidade…!

Enfim, Your Name fala um pouco de muitas coisas: fala sobre o tempo, sobre amor e amizade, destino e acaso, desejos e sonhos, vida e morte, fala sobre as diferenças, sobre o medo de esquecer algo ou alguém precioso. É um anime divertido e emocionante, mas também é uma história real, tocante e muito humana, com uma carga dramática bastante forte, daquelas que te faz refletir, principalmente no modo de lidar com as pessoas próximas e dos laços que estabelecem e que te induz a muitas emoções.

“- Ei! Nós não nos conhecemos?

-Pensei o mesmo!

-Qual o seu nome?”

O final é intenso, angustiante e emocionante, nos faz ficar com o coração apertado, e com toda a certeza, a não ser que você seja aquele tipo insensível de pessoa, é impossível não deixar rolar ao menos uma lágrima.


Abaixo deixo o trailer dessa coisa linda:


Título: Your Name (Kimi No Na Wa)

Direção: Makoto Shinkai

Roteiro: Makoto Shinkai

Gênero: Fantasia, Drama, Romance

Ano: 2017 (Brasil)


 

Leave a Reply